PMEs avançam 3,7% em março

  • Crescimento se mostrou disseminado entre os grandes setores monitorados no mês
  • IODE-PMEs indica avanço de Serviços pelo segundo mês consecutivo
  • Atacado puxa desempenho do Comércio no IODE-PMEs – que cresceu timidamente no período (+0,5% ante mar/22)

 Em março de 2023, o Índice Omie de Desempenho Econômico das PMEs (IODE-PMEs) mostra que a média da movimentação financeira real das pequenas e médias empresas brasileiras (PMEs) cresceu 3,7% em relação a março de 2022. O índice, que havia iniciado 2023 no campo negativo ao recuar entre dezembro e janeiro, já registra a segunda expansão consecutiva. Na comparação direta com fevereiro de 2023, o indicador avançou 10,5% – confirmando a virada sazonal esperada após o primeiro bimestre de cada ano.

O IODE-PMEs funciona como um termômetro econômico das empresas com faturamento de até R$50 milhões anuais, consistindo no monitoramento de 660 atividades econômicas que compõem quatro grandes setores: Comércio, Indústria, Infraestrutura e Serviços.

O crescimento do indicador no último mês acompanha a recuperação observada na confiança de consumidores, além da redução das pressões inflacionárias no país. O índice de confiança do consumidor da FGV (ICC-FGV) avançou em março (+2,5 pontos), diante da melhora da percepção da situação atual e de expectativas mais positivas dos consumidores para os próximos meses. O IPCA – IBGE (índice oficial de inflação do país), por sua vez, apresentou resultado abaixo do esperado pelo mercado em março, tendo encerrado o mês com uma variação acumulada em 12 meses de 4,65% – valor mais baixo do índice desde janeiro/21.

Figura 1: IODE-PMEs (Número índice – base: média 2021=100)

Fonte: IODE-PMEs (Omie)

Felipe Beraldi, gerente de Indicadores e Estudos Econômicos da Omie, plataforma de gestão (ERP) na nuvem explica que, segundo as aberturas setoriais do IODE-PMEs, o bom resultado do mercado de PMEs em março foi disseminado entre os setores monitorados. “No mês, a movimentação financeira real média foi puxada, sobretudo, pelos setores de Serviços (+2,4%) e Infraestrutura (+2,8%). Especificamente em Serviços, o avanço do IODE-PMEs em março foi ocasionado pela expansão em segmentos como ‘Atividades de serviços financeiros’, ‘Atividades jurídicas, de contabilidade e de auditoria’ e ‘Atividades de serviços pessoais’”, afirma Felipe.

Adicionalmente, o IODE-PMEs também mostra que, em março, houve crescimento da movimentação financeira real das PMEs da Indústria (+1,9%) – após cinco quedas consecutivas nos meses anteriores. A performance positiva do setor no último mês foi verificada sobretudo nos segmentos: ‘Fabricação de móveis’, ‘Fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos, e ‘Confecção de artigos do vestuário e acessórios’.

Por fim, os dados recentes do IODE-PMEs mostram avanço, relativamente mais tímido do Comércio, em março/23 (+0,5% ante março/22), sustentado pelo crescimento observado no comércio atacadista. As PMEs do comércio atacadista viram a média da sua movimentação financeira real aumentar 1,6% no período (ante março/22), em oposição ao verificado no comércio relacionado à veículos (-0,9%) e no segmento varejista (-2,0%).

“O bom desempenho da movimentação financeira real das PMEs brasileiras no período recente é um alento diante de um ambiente macroeconômico ainda conturbado. Em linhas gerais, a recente melhora da confiança dos consumidores e o alívio observado na inflação do país trazem efeitos benéficos para os negócios dos empreendedores brasileiros”, diz Felipe.

Sobre o Índice Omie de Desempenho Econômico das PMEs (IODE-PMEs) Compreendendo a relevância das PMEs no desempenho econômico do nosso país, a Omie desenvolveu o Índice Omie de Desempenho Econômico das PMEs (IODE-PMEs), que acompanha as atividades econômicas das pequenas e médias empresas brasileiras. A pesquisa da scale-up Omie é um tipo de apuração inédita entre as empresas do segmento, atuando como um termômetro econômico das empresas com faturamento de até R$ 50 milhões anuais, além de oferecer uma análise segmentada setorialmente do mercado de PMEs no Brasil. Para elaborar os índices, a Omie analisa dados agregados e anonimizados de movimentações financeiras de contas a receber de mais de 115 mil clientes, cobrindo 660 CNAEs (de 1.332 subclasses existentes) – considerando filtros de representatividade estatística. Os dados são deflacionados com base nas aberturas do IGP-M (FGV), tendo como base o índice vigente no último mês de análise, com o objetivo de expurgar o efeito meramente inflacionário na série temporal, permitindo que se observe a evolução das movimentações financeiras em termos reais.

Sobre a Omie Fundada em 2013 por Marcelo Lombardo e Rafael Olmos, a Omie tem o propósito de destravar o crescimento de todos os tipos de negócios, oferecendo um sistema de gestão inovador, completo e ilimitado, ancorada em quatro grandes pilares: Gestão, por meio do software; Educação, por meio da Omie.Academy; Finanças, por meio das funcionalidades de um banco digital, além de linhas de crédito e soluções para apoio à gestão de PMEs, como o Itaú Meu Negócio gestão by Omie; e Comunidade, por meio de um ecossistema que conecta clientes, fornecedores e prestadores de serviços. Líder do segmento, a empresa conta com mais de 25 mil escritórios contábeis parceiros, mais de 115 mil clientes, mais de 1500 colaboradores e mais de 130 unidades de franquias no país.

Para conhecer mais sobre as novidades da Omie, não deixe de conferir nossos canais:

Fonte: ContNews.

Start typing and press Enter to search